12 outubro, 2008


Quando me apaixonei pela primeira vez
Tinha duzentas espinhas no rosto
E um coração que me orientava desorientando
Ela assistia um filme no cine eldorado
Fazia lindas bolas de chicletes
E apertou devagarinho minha mão.
Quando me apaixonei pela segunda vez
Achava que era forte e inquebrável
E meu coração ficava na dele, só na batida
Ela tinha uma camisa sandinista
Granadas palavras, beijos ardentes
E apertava a minha mão como um companheiro
Na terceira vez que me apaixonei
Meus olhos já estavam gastos
Meu coração sussurrava: tenta, tenta porra!
Ela tinha um Hollywood trançado entres os dedos
Me comia com olhos abertos
E sua mão
Nem acenou pra mim na despedida

5 comentários:

Gabriela. disse...

Só você consegue deixar o amor pelado.

lupeu lacerda disse...

grande e bela gabi
gosto de ter por perto.
um beijo querida.

Marta F. disse...

Querido, às vezes a gente precisa ficar pelado mesmo...texto nú, pirei.
Quanto ao aceno, acho que ela é uma distraída, Lupeu. É aquela do olhar panorâmico? Vai ver ela esqueceu de te esquecer,...

Antonio Sávio disse...

Versos iluminados Lupeu. Sinto o cheiro das cinzas do cigarro...

lupeu lacerda disse...

valeu marta, vamos indo né? dissecando pra não secar.

sávio mano
ela esqueceu a porra do cigarro
tô fumando um agora.