02 outubro, 2007


tenho que contar coisas

dizer aos outros que vejo coisas que não sei se são

são?

cabral diz que nada é assim tão sério, mas ele fuma pequenos pedaços de rapadura, tenho medo de suas colocações doçes, de seus doçes delírios, de sua língua sem sal ou mal.

tenho que juntar palavras

mas elas são assim

sem sim, sem não,

e dormem tranquilas em redes sem armador algum

as paredes dizem: cale-se e cáliçes de vinho tinto morno apareçem como por encanto.

de cada canto um ponto

de macumba pop baiana

mãe de santo ciber-punk recita salmos da trilogia matrix

eparrê minha mãe escrota e bolorenta

eis-me aqui cristo histérico

hipoteticamente são.

cabral diz: cruz

credo cabral.

cabral diz: fume tarântulas. escreve pro bob dylan.

diz assim: atotô atotô.

presentemente eu posso dizer: ausente. au au au sente. sente o quê meu mano brown.

a verdade me viu hoje,

mas saiu apressada, disse que se demorasse muito o gelo ia derreter.

2 comentários:

Kleber Matos disse...

a verdade temperatura. calor que passa. frio que dura.

Gustavo disse...

Tarantulas são aranhas geniais.