31 março, 2011

Pra me despedir
Me despedaço
Perco o sono, o dia, o apetite
Depois saio,
órfão anárquico
Procurando a porra de uma
Companhia
Um cigarro aceso
um diasepan

2 comentários:

Maria Muadiê disse...

Excesso de lucidez

Sobressalto, vertigem,
solidão.
Se o sentido me escapa,
o juízo retorna
a quantas miligramas?
rivotril, olcadil, frontal, paxan.
A fina teia se rompe diante dos meus olhos:
ansilive, valium, pondera, diazepan.
O mundo inteiro dissolve
no suor frio das minhas mãos:
dormonid, lorax, celibrin, alprazolam.

Martha

Anônimo disse...

Vão tudo se fuder,e vão procurar oque fazer,Pois se quizer ficar nessa vida de merda vlw,menos pessoas para competir nesse mundo.