13 novembro, 2009


Meu olho me incomoda. Penso na bíblia sem serventia na sala: “se teu olho etcétera e tal, arranca-o e joga-o na fogueira”. Os caras não eram de brincadeira não. Olho jornais antigos. Gosto de noticias frias. Uma amiga minha fala que amou São Paulo as escuras. Imaginou que fosse o fim do mundo, mas não tinha trilha sonora competente, e ela sacou que era só mais um desastrezinho. Um cara escreveu no jornal “meu deus, eu não vi o rio de janeiro”. Me deu vontade de responder que também não. Fiquei com receio que ele entendesse que eu o estava apoiando, que aquilo era um tipo de oração e tal, não repliquei. Passo em revista as revistas, e meu amigo Gustavo me conta que a uniban não aceita meninas de vestidinho. Se teu olho te envergonha... me cago de medo desse povo que volta e meia proíbe alguma coisa. Mirisola diz que Jesus só anda mal acompanhado. Porra mirisola, você me assusta com sua lucidez. Daí penso que lucidez também pode ser passível de proibição. Assim como também não concordar. – “você nãoconcorda? Seu filho da puta! Vou cortar fora seus testículos para que você não estupre mais ninguém!” ui. Ui. Ui. Se meu olho me incomoda... o pastor quer cortar fora pedaços das pessoas: comeu? Corta o pau. Jogou bola ruim? Corta o pé. Roubou do povo? Recebe um milhão de votos e vai eleito. Minha poesia pede pra passear lá fora, peço pra ela fazer silêncio, que pode ser que apaguem as luzes, que pode ser que eles venham com seus cassetetes pra bater a granel, que pode ser que os picolés derretam, que pode ser que William bonner seja expulso por andar de minissaia expondo a bunda branca de vergonha do jornal nacional.

6 comentários:

Peixes em peixes disse...

Na noite do apagão eu tecia mais um tecido... Breu, escuro total, não, quase... da minha varanda vi que dois prédios continuavam bem acesos: o do jornal a Folha de São Paulo e o outro do Unibanco onde são compensados os dividendos... Então fiquei a meia luz, nem lá nem cá... Gente me ligando de toda parte e me dando as últimas da hora: tumulto, rebuliço, terminais de onibus e muitas dedadas, com bolsas de gorjetas debandadas pela ocasião e gritos: levaram minha bolsa... Ai ai penso nos dias que saia de casa com abacaxi na cabeça, salto agulha e um shortinho no rabo por conta do calor, me sentia tão bem... Lobos sem estepe estirpe sem brio me atacavam, eu nem aí nem confiança... Foda-se! A vida é para ser vivida do jeito que dá: tá afim de botar peito, põe, tá afim de cagar na rua, faça... Aguenta as ondas, navega de cabeça erguida... Taí, eu não quero ver a bunda branca do Willian, ou quero? Penso sobre isso depois...

Pedro Antônio disse...

Grande Lupeu, meu chapa!

Saudade de você! Tudo na boa?

Gostei do que você escreveu! Quer dizer que a mágica está em mim? Não! Eu acho que a mágica está nos olhos de quem é sábio e sensível diante das coisas invisíveis! É preciso saber enxergar.

Um abração! Te espero sempre na Torre!

Pedro Antônio

lupeu lacerda disse...

alex ezra
saudade de tú
irmão aceso no apagão paulista

antonio da torre
valeu a visita
erstou sempre lá, lendo, olhando o céu e viajando.

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog cheguei até você e gostei do que vi. No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da telinha está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar um pouco mais de cuidado, mas em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em
http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura, da reflexão e enquanto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam. Pois o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos é o afeto e uma boa educação. Isso faz com que ela acredite na própria capacidade, seja feliz e tenha um preparo melhor para lidar com as dificuldades da vida. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
VAMOS TODOS JUNTOS PELA EDUCAÇÃO, NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR !
Se achar a minha proposta coerente, siga-me nessa luta por um mundo melhor. Peço que ao responder deixar sempre o link do blog, pois vez por outra o comentário entra com o link desabilitado ou como anônimo. Por causa disso fico sem ter como responder as pessoas.Os meus comentários também entram via e-mail, pois nem sempre a minha conexão me permite abrir as páginas: moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, creio que mais alto que as antenas, com isso a minha dificuldade de sinal do 3G. Espero queentenda quando não puder visitá-lo.
Daqui onde estou, os únicos sons que escuto aqui é o dos pássaros, grilos, micos., caipora, saci pererê, a pisadeira, matintapereira ... e outras personagens que vivem pela mata.
Por hoje fico por aqui, já escrevi demais. Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !
Silvana Nunes.'.

Ricardo Thadeu disse...

"se teu olho etcétera e tal, arranca-o e joga-o na fogueira", os caras não brincavam mesmo, man...

a luz apagou? a bunda fluorescente do bonner é um bom recurso.

Ducaralho, Lupa.
Até.

Antonio Sávio disse...

Lupeu cadê seus escritos pelo CaririCult meu caro? Apareça.
Um abraço.