10 junho, 2009


O ente, contente
Senta-se sereno aos pés de deus
Deus, sensciente,
Mexe no controle remoto da sua
Super pay per view
O ente, paciente, espera.
A alma de deus, oniptente
Mastiga os ossos do último homem
E vomita begônias multicoloridas
Deus, onipresente,
Embala-se com papéis brilhantes
Se auto remete
Pra puta que pariu.

6 comentários:

Iza Greff disse...

esse deus mais parece a Veruca da fantástica fábrica de chocolate.....


(:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

tenho medo de deus

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

tenho medo de deus

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

tenho medo de deus

anjobaldio disse...

Muito bom Lupeu. Já peguei teu livro com o Lima Trindade. Obrigado pelo autógrafo. Grande abraço.

Ricardo Thadeu disse...

Ver tudo de camarote ou na super pay per view faz o cara ficar sedentário e barrigudo.

Muito bom, man.
¡hasta luego!